segunda-feira, 28 de setembro de 2015

LIVRO: A CERIMÔNIA DO ADEUS seguido de Entrevistas com Jean-Paul Sartre (Agosto - Setembro1974) - SIMONE DE BEUAVOIR


Beauvoir, Simone. Nova Fronteira, 1982
578 páginas
Tradução: Rita Braga
Título Original: La Cérémonie des adieux suivi de entrètiens avec Jean-Paul Sartre (Auôt-septembre 1974)

Na primeira parte deste livro Simone de Beauvoir relata os últimos dez anos de sua vida com Sartre antes de sua morte. É um relato pungente e belíssimo, onde corajosamente ela fala sobre o que sentiu, como assistiu ao fim de seu companheiro de mais de 45 anos. É corajoso porque poucos são os que realmente olham de frente a finitude da vida e tudo que isto acarreta, principalmente ao corpo, a degradação deste corpo, mas um corpo que sustenta uma mente lúcida, apesar de que Sartre sofreu de problemas de esquecimentos e delírios em determinados momentos. Sua cegueira que o impedia de ler, ele até escrevia, mas já não podia ler o que escreveu, e obviamente a letra já não era como antes. O cansaço que sentia, as crises. O medo que ela sentia, suas preocupações e ter que finalmente enfrentar o momento onde ele já não estaria ao seu lado como foi durante toda sua vida desde a juventude, pois mesmo não morando juntos, e mantendo amores que eles chamavam de necessários, nunca se largaram. Após a morte de Sartre ela chegou a ser hospitalizada. 

A segunda parte são as entrevistas que Simone fez com Sartre para que ele falasse sobre sua vida, suas idéias, seus livros e seu engajamento político. Simone desejava com isto dar voz a Sartre, inclusive para que mal entendidos se dissolvessem, e também para ter a garantia deste relato, pois há um filme com entrevistas com Sartre já no final de sua vida que já assisti e postei aqui no Blog, mas ela na época não tinha certeza de que o mesmo seria exibido. De minha parte, apesar de ter gostado muito do documentário, prefiro o relato impresso neste livro, é mais íntimo, mais delicado e ao mesmo tempo mais profundo. A inteligência de ambos é notória, e Simone não deixa muito espaço para que Sartre possa se enganar a si mesmo, ou fazer uso da má-fé, ela o interroga, o questiona, e volta a carga. Acompanhamos desta forma como surge o Sartre escritor, filósofo, político e também o homem, e também as mudanças que ocorreram que o fizeram em alguns pontos mudar ou ampliar seus pensamentos. 

Vale a pena ler para quem se interessa pelos dois assim como pela filosofia. Recomendo!

Simone e Sartre