terça-feira, 14 de julho de 2015

DOCUMENTÁRIO: VERSAILLES, O SONHO DE UM REI - 2008


Direção: Thierry Binisti -  2008
Duração: 90 min
Título Original: Versailles, le rêve d'un roi
País: França

Este documentário narra através de um filme a história da construção do Palácio de Versailles pelo rei Luís XIV, o Rei Sol conhecido por sua frase: O Estado sou eu!

Em sua infância Luís XIV teve que fugir para não ser morto, e isto ficou marcado. Ele jurou que nunca mais se repetiria, e para isto ele tinha que ter o domínio total sobre seus súditos. Para tanto ele constrói Versailles como símbolo de seu poder, mas também para levar a corte e os nobres para lá, para ficarem sob seus olhos. Ao contrário do que se pode imaginar, este rei tinha um lado muito democrático ao dar liberdade aos seus súditos de lhe falarem, e quando a Galeria dos Espelhos ficou pronta ele mandou que fosse aberta ao público, ela foi feita para os outros, não para ele. Ele queria que todos admirassem seu poder. Por outro lado era impiedoso com quem o ameaçasse, e não poupou nada nem ninguém para a construção do palácio. O que vemos é o que normalmente acontece em grandes construções, mesmo nas atuais como a construção de hidrelétricas, onde morrem muitas pessoas, e a exploração da mão de obra é sempre uma realidade. 





Luís XIV (Samuel Theis) fez da residência de caça de seu pai o mais sumptuoso palácio real da Europa e para isto gastou somas imensas o que deixava Colbert (Jérôme Pouly) seu ministro das finanças, angustiado. Em volta do palácio o que havia eram pântanos que foram transformados nos famosos jardins de Versailles. Faltava água para tantas fontes e cada vez se gastava mais para trazer a água. O palácio levou 30 anos para ser construído. 





O Rei Sol também tinha um enorme gosto pelas artes e tinha a seus serviços os maiores talentos da época como La Fontaine (Eric Franquelin), Racine (Laurent Vernick), Molière (Thierry  Garet), Charles Perrault (Stéphane Roux). 




O filme retrata toda a época e a corte de Luís XIV, seu casamento, suas amantes. No final ele está só no palácio que se transformou num túmulo, a corte pouco a pouco retornou para Paris, e os problemas econômicos gerados pela construção e pelas guerras culminou com a Revolução de 1789.



Foi filmado nos locais documentados. 


Thierry Binisti nasceu em 1964 em Créteil, França