sexta-feira, 13 de junho de 2014

LIVRO: SERGIO Y. VAI À AMÉRICA - ALEXANDRE VIDAL PORTO


Porto, Alexandre Vidal. 1ª ed. Companhia das Letras, 2014
181 páginas

Recebeu o prêmio Paraná de Literatura de 2012 na categoria Romance 

Um livro instigante que nos prende até o final. Quem nos relata sobre Sérgio é seu psiquiatra Dr. Armado  que o tratou por um tempo breve até o dia em que ele simplesmente anunciou que não voltaria mais. Isto balança Armando que se vê diante de um paciente que ele não sabe o que lhe ocorreu e porque foi embora assim. Durante muito tempo ele fica obcecado com isto até o dia em que encontra a mãe de Sérgio que lhe diz que ele está muito feliz vivendo em Nova Iorque e que devia a ele poder ter encontrado seu caminho e ser feliz.

Se por um lado Armando fica feliz em saber que ele está bem, por outro se questiona sobre como ele pode ajudar este paciente que vivia dizendo que seu único problema era não ser feliz, apesar de ter tudo na vida para o ser. O psiquiatra decide-se a visitar Sérgio em sua ida à Nova Iorque por ocasião da formatura de sua filha dentro de alguns meses, mas algo irá acontecer que mudará isto e levará Armando a se questionar mais ainda e ao sentimento de culpa, incompetência profissional, e muitas dúvidas.

É o relato de um psiquiatra que sempre se teve em alta conta como profissional, dedicado, estudiosos e que sempre obteve bons resultados com seus pacientes, e eis que com Sérgio as coisas parecem que não seguiram seu rumo costumeiro. Ele então terá que se reavaliar como profissional, mas também a si mesmo, aprendendo lições de humildade e compreensão.

Também é um relato sensível sobre escolhas sexuais e possibilidades no mundo atual, sobre mudanças que podem levar a uma vida mais prazerosa e produtiva. O autor enfrenta um tema difícil com simplicidade e de forma delicada.

Quantas pessoas deixam de viver uma vida melhor em função de preconceitos ou para não desagradar ou perder o amor da família? Independente do que possa acontecer o valor da tentativa permanece sempre, e mesmo que se seja para ser feliz por apenas pouco tempo é melhor esta escolha do que a dúvida, a tristeza e falta de perspectiva por uma vida toda. É preciso coragem, mas a covardia pode encerrar uma vida num casulo onde apenas se irá sobreviver, e atender ao outro.


Vale a leitura.

Alexandre Vidal Porto nasceu em 1965 em São Paulo. É diplomata e escritor.