quinta-feira, 4 de setembro de 2014

FILME: GORDOS - 2009


Direção: Daniel Sánchez Arévalo - 2009
Duração: 110 min
Título Original: Gordos


O filme trata de 05 pessoas com suas histórias diferentes e que são gordas. A questão na terapia que fazem não é emagrecer, mas sim, por que são gordos? o que os leva a comer compulsivamente? e mais, caso se sintam bem estando gordos não há motivos para fazer terapia.

Um belo enfoque sobre a obesidade, pois aqui não se trata de peso, mas do corpo, o corpo que somos nós, se nos sentimos bem ou não neste corpo. E geralmente a questão da obesidade está ligada a questões pessoais, como carências, culpas, tédio, contradições que não conseguimos resolver e então colocamos no lugar comer compulsivamente. O reverso da anorexia, da bulimia onde também são questões psíquicas que levam a pessoa a estas doenças.

O filme me atraiu de imediato, pois eu mesma engordei muito durante uma depressão, mas pela primeira vez estou parando para pensar no que me leva a isto. Claro que para emagrecer é preciso reduzir a comida, fazer exercícios, mas não é esta a questão do filme, que aliás nos mostra um homem magro e que faz uma campanha publicitária sobre um remédio para emagrecer e que depois ele mesmo engorda novamente. Quantos não emagrecem e engordam novamente. Por que?

Sempre me pergunto se realmente seria uma constituição física que daria o prazer de poder comer a uns e a outros não, mas algo em mim dizia: Não! Mesmo famílias obesas há algum problema ali e que não é físico, e que se transmite por herança aos descendentes.

As cinco histórias nos mostram exatamente isto, por que eles comem compulsivamente? por que eles são gordos?

O terapeuta Abel (Roberto Enríquez) conduz as sessões, ele é magro, mas isto não o exime da questão, pois justamente é um terapeuta para gordos por ele próprio ter pavor da obesidade e foi sua forma de lidar com isto. Enrique (Antonio de la Torre) é o garoto propaganda que engorda novamente. Temos o casal Sofia (Leticia Herrero) e Alex (Raúl Arévalo) que fazem parte de uma comunidade religiosa e desejam se casar. Um casal gordo com dois filhos, sendo que ela é gorda e o filho é magro e se diverte atormentando a irmã por ser gorda. E uma mulher que engorda por ser a forma que ela encontra para terminar o seu namoro, mas não assume isto.

O filme vale a pena ser visto não só pelo enfoque da obesidade, mas também para outras questões que transferimos para o corpo.

O que você limita, mas adora?
O que adora, mas reprime?
O que reprime, mas te liberta?
O que te liberta, mas você condena?
O que condena, mas ama?
O que ama, mas rejeita?

Daniel Sánchez Arévalo nasceu em 1970 em Madrid, Espanha