quinta-feira, 1 de maio de 2014

FILME: AS CINZAS DE ANGELA - 1999



Direção: Alan Parker - 1999
Duração: 139 min 
Título original: Angela's Ashes 
País: Estados Unidos 

Baseado no livro auto-biográfico de Frank McCourt. 

1935 - uma família irlandesa vive nos Estados Unidos com dificuldades. Após a morte de sua filha bebê eles retornam para a Irlanda justamente num momento onde os irlandeses estão indo para a América fugindo da fome e da falta de trabalho. Angela (Emily Watson) e seu marido Malachy (Robert Carlyle) com seus filhos chegam à Irlanda e são recebidos pela mãe de Angela e sua tia e tio. Porém o marido de Angela é protestante e a família dela é católica o que logo de início já coloca uma situação delicada com a avó e a tia se recusando a lhe dar a mão.

Um filme sobre a dura realidade as famílias pobres na Irlanda onde apesar de todo o catolicismo não há muito misericórdia ou bondade, mesmo quando a igreja ajuda é em tom de deboche, mas ela também bate a porta na cara das pessoas, contradizendo seu belo discurso de amor a Deus e aos próximos.



Para complicar tudo o pai não consegue emprego e não para de beber, e quando consegue um trabalho vai comemorar logo no primeiro dia gastando tudo que ganhou ao invés de levar para a família. Com toda a dificuldade que passam ainda tentam manter um orgulho, como o pai se recusando a pegar carvão no chão como um mendigo, preferindo deixar a família passar frio, ou Angela que ao conseguir ajuda para comprar móveis reclama que serão de segunda mão.

A vida é dura, logo eles perdem um dos filhos gêmeos, Oliver, e não demora morre também o segundo gêmeo, Eugene. Mas, apesar de toda esta dor, tristezas e dificuldades o filho mais velho Frank (Joe Breen (5-8anos; Ciaram Owens - 10 anos e Michael Legge - adolescente)  e seu irmão conseguem ainda manter a alegria de criança, com as brincadeiras, aprontações, mas não deixam de perceber tudo que se passa, e se por um lado amam o pai que conta histórias, odeiam o pai que bebe.



Angela engravida novamente e mais uma vez, mas ela se cansa de um marido que ela chama de inútil, que nunca arruma um trabalho e não consegue ajudar em nada para sustentar os filhos. Um dia ele parte para a Inglaterra como muitos faziam prometendo mudar e parar de beber, mas obviamente isto não acontece, até que no Natal ela o recebe friamente e ele parte de vez e nunca mais voltou ou deu notícias.

Frank irá trabalhar como entregador de carvão e acabará tendo uma conjuntivite extremamente séria. Serão expulsos do quarto onde moravam e terão que morar com um primo onde este os transforma em seus serviçais em troca da moradia de graça, sendo tarefa de Frank esvaziar o urinol e sua mãe deve cozinhar, mas não só isto, os meninos irão perceber que toda noite ela sobe e não volta, e Frank logo perceberá o que acontece. Um dia ele perderá a cabeça e agredirá o homem que é muito mais forte que ele. Nesta noite, após sua mãe nem lhe agradecer e subir direto ao quarto dele, Frank arruma suas coisas e parte. Vai viver na casa de seu tio e começa a trabalhar no Correio para juntar dinheiro e partir para a América.

Ele também aceita trabalhar para a odiada agiota escrevendo cartas de cobrança assustadoras e as entregando, mas um dia quando chega ela está morta e ele então pega o dinheiro que ela guardava e o livro onde estavam anotados todos os nomes de quem lhe devia, inclusive sua mãe e sua tia, e o joga no rio, apagando para sempre estas dívidas, e vai comprar sua passagem para a América para onde segue num navio e retornando ao ponto de partida, só que desta vez é dando alô à Estátua da Liberdade e não adeus como no começo do filme.

Um filme sobre uma vida difícil, cheia de dor, fome, luta pela sobrevivência, retratando a Irlanda daquele tempo, onde muitos morriam de fome e doenças, devido à umidade, sempre chovia ali. A questão dos católicos e protestantes, aqui é retratado mais no aspecto das questões familiares, e perante a igreja católica. A discrepância com o que se prega e o que se faz, os preconceitos. A bebida como forma de fuga.

Apesar de Frank parecer repetir seu pai quando chega em casa bêbado pela primeira vez e cantando as mesmas músicas que ele o que exaspera sua mãe que o acusa de ser igual, não será assim. Ele neste momento irá dar um tapa no rosto da mãe e a chamará de prostituta, mas depois ele irá rezar para São Francisco e um padre novo lhe dirá que ele tem que amar a Deus e a si mesmo primeiro, para depois amar aos outros, e ele então segue adiante com sua vida. No caso da mãe não devemos julgar, o que poderia fazer na situação que estava com 04 filhos, não tendo dinheiro nem onde morar, abandonada pelo marido, se viu numa situação difícil e precisava proteger os filhos que lhe restavam, ela já havia perdido três. Mas para o filho, perceber isto foi tremendamente doloroso, ele também precisava por isto para fora. Ele a vira se negar ao pai para não ter mais filhos e agora a via ir para a cama com aquele homem asqueroso, e de qualquer maneira um filho não consegue aceitar isto, e ele tentou defendê-la, assumindo o lugar do pai, mas não pode. Mas o que Angela quis fazer ela também conseguiu, seu segundo filho também segue a vida, e com certeza os dois menores também.

Provavelmente o título do livro e filme é uma homenagem à esta mãe.


Alan Parker nasceu em 1944 em Islington, Reino Unido, mas fez a maioria de seus filmes nos Estados Unidos.


MÚSICA DE JOHN WILLIAMS

John Williams nasceu em 1932 em Floral Park, New York, EUA. É um compositor.