quinta-feira, 1 de maio de 2014

FILME: ONDE ESTÁ A NOITE - OÙ VAS LA NUIT - 2011



Direção: Martin Provost - 2011 
Duração: 102 min
Título original: Où vas la nuit 
País: França 

Baseado no livro "The long Falling" do escritor irlandês Keith Ridgway

No meio da noite uma jovem é atropelada ao pedir carona e morre. O culpado é o marido de Rose (Yolande Moureau) que é condenado a 06 meses de prisão. Eles vivem numa fazenda e o filho deles Thomas (Pierre Moure) saiu de casa com 16 anos. Ele é um homem violento, e que fica pior ainda quando bebe. Rose é agredida por ele com socos e pontapés. Ela ensaia sua partida preparando a mala, colocando um sobretudo, desce as escadas, dá a volta e retorna ao quarto onde guarda tudo de novo. Porém uma noite quando ele sai para beber ela pega o carro e o aguarda no mesmo local onde a jovem foi atropelada e faz o mesmo com ele.

No enterro ela parece alheia, vai até um túmulo de uma criança e depois vai embora junto com o filho que veio para o enterro do pai. Permanece ainda alguns dias na fazenda, responde as perguntas dos policiais e decide partir para Bruxelas onde vive o filho com seu companheiro para iniciar uma vida nova.



Inicialmente ela olhara para um mundo novo, admirando obras de arte, caminhando pela cidade, mas a sombra do marido permanece, não exatamente culpa pelo o que fez, mas é como se ele se perpetuasse até mesmo no filho, que em algumas cenas com seu companheiro se torna também sádico, chegando a queimá-lo com o cigarro.

O filme discute a questão da violência doméstica e familiar. O inspetor já sabia que tinha sido ela e iria se calar se ela não tivesse desaparecido, o que o deixou numa saia justa sem poder responder onde ela estava, e ao mesmo tempo não pode mais impedir a perícia em seu carro que ficou na fazenda.

O filme nos mostra a ambiguidade das pessoas, pois por se tratar de um crime ela teria que ser responsabilizada por ele, mas esta moral não atua tão objetivamente, e muitos ficarão do lado dela, e até tentarão ajudá-la, e outros, como seu filho, que também odiava o pai, irá culpá-la.

O que leva uma pessoa a não agir de forma que não chegue a este ato, ao crime? Por que ela não foi embora antes? apenas ensaiava sua partida. O que a retinha? Por que não pediu ajuda?

E Thomas, que a culpa, por que nada fez para ajudar sua mãe? por que ele não enfrentou seu pai e socorreu sua mãe?

Questões que nos colocamos, mas cada um faz o que pode quando consegue. Rose deseja reiniciar uma vida nova, mas também resgatar sua relação com o filho, tem esperanças de que tudo poderá ser diferente agora. Num momento do filme ela relatará que nem sempre foi ruim, que houve bons momentos, mas que seu outro filho morreu afogado ao brincar ao lado dela e ela não percebeu. Seu marido nunca a perdoou do acidente, passando a culpá-la por isto, e também nunca aceitou a homossexualidade do outro filho.

Os dramas familiares que se redundam e que acabam transformando as vidas em sofrimento.


Martin Provost