domingo, 25 de maio de 2014

FILME: O LEITOR - 2008



Direção: Stephen  Daldry - 2008
Duração: 127 min 
Título original: The reader 
País: Reino Unido 

Baseado no livro homônimo de Bernhard Schlink

1958, Michael Berg (David Kross) mora em Neustadt e tem 15 anos. Ele passa mal e uma mulher o ajuda. Eles começam a ter um caso, é o primeiro amor de Michael e a descoberta de sua sexualidade até que a mulher que se chama Hanna Schmitz (Kate Winslet) desaparece. Ele não a verá mais até que um dia vai assistir um julgamento com sua turma da faculdade de direito como parte de um seminário orientado pelo professor Rohl (Bruno Ganz), um sobrevivente dos campos de concentração e a encontra no banco dos réus.

O filme se passa entre o momento atual e as lembranças de Michael Berg (Ralph Fiennes) já adulto que se divorciou e tem uma filha.

As lembranças de seu primeiro amor são singelas, ela pede que ele leia para ela o que ele faz, lendo a Odisséia de Homero ou a Dama e o cachorrinho de Anton Checkhov entre outros,  fazem um passeio de bicicleta  e passam as tardes juntos.



Hanna e outras mulheres são acusadas de terem deixado morrer trezentas mulheres judias presas em uma igreja durante um incêndio. Ela era funcionária da Siemens e será guarda de campos de concentração. No julgamento ela dirá a verdade, enquanto as outras acusadas negam tudo e com isto conquista a inimizade de suas cúmplices que a acusam de ser a chefe e de ter redigido o relatório. Confrontada pelo juiz ela nega, diz que todas tomaram a decisão juntas para não correr o risco que os prisioneiros fugissem, era responsabilidade delas, mas ele pede que ela prove isto, quer ver sua letra e lhe dá um bloco de  papel para escrever. Ela titubeia e diz ao juiz que foi ela, que não precisa escrever. Sua condenação é maior do que as outras que pegam 04 anos de cadeia e ela a prisão perpétua.

Duas testemunhas que sobreviveram confirmam que todas participavam da seleção das que iriam voltar para Auschwitz, o que significava a morte. Ilana Mater (Alexandra Maria Lara-jovem e Lena Olin) escreveu um livro sobre como ela e a mãe sobreviveram a marcha da morte e ela testemunha que Hanna parecia ser mais humana que as outras, escolhia de forma diferente as dez que mandaria para a câmara de gás e depois levava as que ficavam para dormir com ela, levando todos a pensar que se tratava de homossexualismo, mas não era, ela pedia que elas lessem para ela.

Neste momento Michael descobre o grande segredo de Hanna, ela era analfabeta, não sabia ler nem escrever, portanto não foi ela quem redigiu o relatório, afirmando isto por sentir vergonha de não saber escrever.

Michael nunca mais teve nenhum contato pessoal com ela, mas passa a gravar livros e lhe enviar na prisão, e foi desta forma que Hanna aprendeu a ler, ouvindo e acompanhando com o livro. Ela começa a enviar cartas para ele, mas nunca tem uma resposta, até que finalmente consegue a redução de sua pena e vai ser libertada. A supervisora da prisão entra em contato com Michael, ela não tem ninguém e pode ser um problema para ela entrar no mundo novamente. Ele a ajuda, arruma um emprego e um lugar para morar e finalmente vai vê-la, porém quando ele volta para buscá-la recebe a notícia de seu suicídio.

Michael havia perguntado se ela pensava no passado, não sobre eles como ela diz, mas sobre o que fez, e ela diz que não adiantaria nada, os mortos estão mortos. Mas ela deixa uma lata de chá com algum dinheiro e uma conta no banco e pede que seja entregue para Ilana Mater para que faça com isto o que achar melhor. Michael cumpre seu desejo, mas Ilana não aceita o dinheiro pois isto poderia parecer uma espécie de perdão, mas gosta da ideia dele de entregar o dinheiro para uma instituição de analfabetos. Ela fica com a lata de chá, tinha uma igual quando criança que lhe foi roubada no campo de concentração.

Foi para ela que Michael falou pela primeira vez de seu amor por Hanna e depois ele toma a decisão de contar para sua filha.

Ele a amou a vida toda, sofreu por ela, não conseguiu ter outro amor igual, que substituísse este ou fosse maior.

Houve muitas mulheres que foram nazistas e cometeram atrocidades, crueldades. Nota-se que Hanna não compreende o que fez de errado, ela cumpriu as ordens, e era o que era correto naquela época, mesmo que se tratasse de assassinato, estava dentro da ordem do Estado Nazista. Michael sofreu com isto, talvez desejasse que ela se arrependesse, mas ela não o faz. Ela não se esquiva do que fez no tribunal, nem mesmo mente para se salvar da condenação como os outros, ela assume e não vê nada de errado nisto.



Stephen Daldry nasceu em 1961 em Dorset, Inglaterra.