segunda-feira, 4 de agosto de 2014

FILME: LULU, NUA E CRUA - 2013



Direção: Solveig Anspach - 2013 
Duração: 87 min
Título Original: Lulu femme nue 

Baseado na história em quadrinhos de Étienne Davodeau

Lulu (Karin Viard) deseja trabalhar fora mas é mal sucedida na entrevista de emprego. Quando sai dali ela toma a decisão de não voltar para casa. Precisa de um tempo para si mesma. Ela deixa o marido e os filhos a espera e parte sem nada planejado, seguindo em frente e vivendo o que lhe aparece.

Vai conhecendo pessoas, todas sozinhas e com suas questões com quem vai aprendendo muito também. Não se afasta muito de casa, mas já é o suficiente para quem precisa na verdade respirar e ter um tempo só para si mesma. Seu marido lhe corta o cartão do banco achando que com isto a fará voltar, uma atitude diga-se de passagem um tanto infantil, uma vez que seria o que se faria com um filho e jamais com sua mulher que é uma pessoa adulta. O problema dele eram os filhos. O celular a prende, ela diz que parece um cachorro na coleira, até que o homem que acaba de encontrar na praia o joga na água.

Mas Lulu não desiste, está só, sem dinheiro, mas prossegue em sua errância e irá encontrar pessoas que a ajudarão e com quem poderá compartilhar, o que é notório não fazia mais com seu marido. A irmã e a filha irão atrás dela e a encontrarão, mas ambas, mulheres também, parecem perceber o que se passa e talvez no fundo desejassem fazer o mesmo. Qual mulher não precisa deste espaço? de um jardim secreto? de respirar?

Irá dormir na rua, mas isto não a incomoda, até que Charles (Bouli Lanners) a acolhe. Eles viverão uma relação e Lulu redescobrira o prazer sexual que estava adormecido nela. Irá perceber que gosta disto e que seu corpo reage, e se pergunta como pode ficar tanto tempo sem isto. Mas irá embora assim que descobrir que sua filha a encontrou e está no trailer ao lado.

Mesmo sem dinheiro ela não se porta como uma vítima, simplesmente vai dando um jeito. Em uma cena ela chega a roubar uma senhora idosa que acaba de sacar dinheiro no banco para em seguida lhe devolver e pedir mil desculpas. Esta mulher a acolhe, e ambas passarão bons momentos juntas e se tornarão amigas neste percurso.

Lulu dirá que a vida não é predestinada, somos nós que a fazemos, e este é seu grande aprendizado, se deixando levar, mas ao mesmo tempo refletindo e sentindo ela amadurece e quando retorna para casa as coisas não poderão mais ser como antes.

Solveig Anspach nasceu em 1960 em Heimaey nas Ilhas Vestmann na Islãndia. Naturalizou-se francesa.