quarta-feira, 16 de julho de 2014

FILME: A VIDA DURANTE A GUERRA - 2009


Diretor: Todd Solondz - 2009
Duração: 94 min
Título original: Life during Wartime.

Minha primeira experiência com o cinema de Todd Solondz, e não sabia que havia o filme Felicidade ao qual este dá continuidade, mas é possível assistir A vida durante a guerra separadamente.

A família "normal" com tudo que ela tem de anormal, de problemas, passado, dificuldades, traumas, mas que apesar de tudo tenta viver e viver bem e ser feliz. Três irmãs, Joy, Trish e Helen, cada uma com seus problemas.

Joy (Shirley Henderson) me parece desejar salvar o mundo, há um momento em que ela diz que nem todos os terroristas e estupradores são maus, mas os dois homens com quem se relacionou se suicidam. Trish (Allison Janney) tenta reconstruir sua vida com outro homem anos depois de Bill (Ciarán Hinds), seu marido e pai de seus três filhos ter sido preso por pedofilia e Helen (Ally Sheedy)que se afastou de todos e se sente pressionada pela família e por sua carreira e sucesso.

E a grande questão: perdoar ou esquecer? perdoar para poder esquecer? ou esquecer e não perdoar?

Bill ao sair da cadeia procura seu filho mais velho, quer ter certeza de que ele não será como ele. Seu filho do meio vive a angústia de descobrir que seu pai não morreu e que é pedófilo. Trish havia dito que ele havia morrido e Bill acha que é o melhor. Tem um encontro breve com uma mulher (Charlotte Rampling) com quem consegue um pouco de dinheiro para ir até onde está o filho e depois desaparece.

Vários temas num mesmo filme que poderiam ser mais explorados, mas mesmo assim é um retrato deste mundo meio caótico, sem muito sentido onde todos tentam de alguma forma levar uma vida normal, mesmo diante de questões que não são nada normais.

A questão da pedofilia não é explorada a fundo, mas não deixa de transparecer as consequências, neste caso na família do pedófilo. O filho mais velho que lida com isto estudando antropologia e a questão da homossexualidade em animais, o filho do meio que quando se defronta com a verdade tem que obter respostas e que no fundo só desejava um pai. O medo da mãe que faz com que o filho tenha que gritar a qualquer toque de outro homem, o que causa um constrangimento e mal entendido com seu namorado, que só abraça o menino carinhosamente. O pai que tem medo que seu filho siga pelo mesmo caminho. Por que no fundo a pedofilia, apesar de ser um crime também precisa ser tratada, e o pai pagou pelo seu crime dentro da lei, mas assim mesmo as consequências ficam.


Todd Solondz nasceu em 1959 em Newark, New Jersey, EUA.