sábado, 22 de fevereiro de 2014

FILME: SAGAN - 2008



Direção: Diane Kurys - 2008
Duração: 180 min 
País: França 

Uma cineobiografia da escritora francesa Françoise Sagan desde o lançamento do seu primeiro livro Bonjour Tristesse aos 18 anos até sua morte aos 69 anos.

Françoise Sagan (Sylvie Testud) escreve um livro em 07 semanas que lhe dá o sucesso e fama, é o seu primeiro livro - Bonjour Tristésse - Bom dia Tristeza.



Era uma jovem mimada, fazia sempre o que queria. Ganhou muito dinheiro e perdeu tudo. Não dava nenhum valor ao dinheiro. Dois casamentos, um filho, algumas relações homossexuais, álcool, drogas - cocaína. Devia muito dinheiro ao fisco sendo condenada a um ano de prisão, quando um amigo escreveu: "ela deve ao Estado, mas a França lhe deve muito mais."


Sagan viveu a primeira parte de sua vida no entre-guerras e depois do fim da Segunda Guerra o que se buscava em um certo clima de euforia era a liberdade, onde tudo era permitido, drogas, sexo, relações livres, álcool. Ela não é diferente da maior parte de sua geração, mas sabia escrever. Uma época onde o importante era negar aqueles anos de guerra, e não ter castração depois de tantas privações, tudo era permitido. O que eu me pergunto é se somos capazes de suportar tal liberdade ou ela acaba nos destruindo?


Ela dizia que escrever era uma pulsão sexual e que não havia idade para aprender a viver. Morreu sozinha, sem dinheiro e não quis ver seu filho no leito de morte. Dizia que não foram feitos um para o outro.

Sagan foi uma mulher do seu tempo, solitária apesar de rodeada de pessoas. Muitos a bajularam e se aproveitaram para curtir a vida com o dinheiro dela e depois desapareceram. E ela reconhecia que quando se está mal as pessoas desaparecem, que a dor afasta as pessoas.


FRANÇOISE SAGAN nasceu em 1935 em Cajarc, França e faleceu em 2004 em Honfleur, França


Diane Kurys nasceu em 1948 em Lyon, França