sábado, 28 de dezembro de 2013

FILME: RENOIR - 2012




Direção: Gilles Bourdos - 2012
Duração: 112 min 
País: França

 Festival de Cannes 2012 - filme de encerramento

Uma cinebiografia dos últimos anos de vida do pintor Renoir (Michel Bouquet)  em 1915 quando ele vive na Côte D'Azur, já sofrendo de muitas dores devido a artrite, junto ao seu filho mais jovem e o outro, Jean (Vincent Rottiers) ,  volta ferido da guerra.


O filme vai tratar de um último alento que ele sente quando Andrée ( Christa Theret) entra em sua vida como modelo, rejuvenescendo-o. Seu filho Jean irá se apaixonar por ela.



Mas como acabo de ver Séraphine, não pude deixar de observar algumas diferenças entre os dois que me chamaram a atenção. Renoir pinta o externo, o que ele vê, ele precisa do modelo ou da paisagem, mesmo que ao pintar ele não siga isto de forma objetiva, pelo contrário. Quando ele olha uma paisagem no filme vemos que ele vê tudo em cores, como se a vista estivesse nublada, ele vê o verde das plantas e árvores se misturando ao vermelho do vestido. Ele diz: a estrutura não é o desenho, são as cores.

Renoir gosta de pintar coisas bonitas, que dão prazer. De ruim já basta a vida. Iniciou a vida como pintor de porcelanas, e considera a pintura um métier, prática, não se considera um artista.



O que me tocou no filme, fora a vida de Renoir, é seu filho caçula, sozinho, tem ódio do pai e de tudo ali. Culpa o pai por se envolver com suas modelos e ter feito sua mãe sofrer. O filme não trabalha isto, deixa apenas entrever, mas é difícil para um filho viver sob a sombra de um pai grande e famoso e que faz da pintura sua vida.



Assista ao trailer:



Pierre-Auguste Renoir

Gilles Bourdos nasceu em 1963 em Nice, França.

Trilha Sonora Alexandre Desplat