quarta-feira, 4 de março de 2015

FILME: O QUE OS HOMENS FALAM - 2014



Direção: Cesc Gay - 2014
Duração: 95 min
Título original: Una pistola em cada mano

É uma comédia tragicômica. São oito homens que enfrentam a crise de meia-idade e que nos são apresentados em pequenos episódios. Há um dito comum que diz que os homens sempre falam de mulher e futebol, há um impressão errônea de que os homens não se afetam com questões amorosas da mesma maneira que as mulheres e também não choram facilmente, que são unidos, mas tudo isto é puro engano, e este filme nos mostra o quanto os homens são humanos, muito humanos.  

O primeiro episódio nos mostra E. (Eduardo Fernandez) que encontra por acaso, o que já se diz de imediato, nada é por acaso, com J. (Leonardo Sbaraglia) ao entrar num elevador. J. está chorando, teve uma sessão difícil com o seu psicanalista alemão, já E. encontra-se numa situação difícil, perdeu tudo e teve que voltar a morar com sua mãe levando com ele seu inseparável gato. J. aparentemente é um homem que devia estar feliz, está numa boa situação financeira, tem uma esposa e filhos, mas não, ele está deprimido. 

S. (Javier Cámara) está com o filho e o leva para casa de sua mãe. Ali ele tenta entabular uma conversa com a ex-mulher que ele traiu e que o deixou, buscando reatar o casamento. 

Vemos então um homem G. (Ricardo Darín) sentado num banco em um parque. Ali ele encontra um amigo que faz tempo não vê, L. (Luis Tosar) que está levando seu cachorro Asko (nome sugestivo) dar uma volta.  Ele confessa ao suposto amigo L. que está seguindo sua mulher Laura, que ela o está traindo. Ele quer reconquistá-la e por isto nunca falou com ela sobre suas desconfianças. O bom amigo lhe aconselha a falar com ela, a facilitar as coisas para ela (???). Mas G. decide fazer o contrário, ao invés de falar com Laura ele diz que vai falar com o amante e eis que ele irá descobrir quem é este, e provavelmente sente asco. 

P. (Eduardo Noriega) está em seu trabalho e tenta seduzir uma colega que ele sempre desprezou pois ela era gorda e agora emagreceu. Será que ela vai aceitar? A cena do banheiro é hilária. 

A caminho de uma festa A. (Alberto San Juan) ouve uma amiga falando de seu relacionamento e de tudo pelo o que passou com o marido e fica pasmo. Enquanto isto M. (Jordi Mollà) que é o marido mencionado encontra a esposa de A. e também ouve uma confissão dos problemas que abalam o casamento dos dois. O terrível é o encontro dos dois, ambos olhando um para o outro, sem saber se sentem pena ou raiva, e sem saber que o outro sabe dele mesmo. 

O que este filme retrata é a humanidade dos homens e não os estereótipos, e o que não os diferencia das mulheres, todos com suas questões, fragilidades, dificuldades, bloqueios, medos, dúvidas, inseguranças, enfim, todos humanos. Vemos que eles não são tão unidos assim, e que também se desconhecem, mas sentem dúvidas, se perdem também na ambiguidade, não sabem o que fazer, como fazer ou quando fazer, tem desejos, e também sentem vergonha. 

Também é bom ver no filme a atuação conjunta de atores espanhóis e argentinos. O filme é ambientado em Barcelona, na Espanha. 

Cesc Gay nasceu em 1967 em Barcelona, Espanha.