terça-feira, 24 de março de 2015

TEATRO: INCÊNDIOS



Direção: Aderbal Freire-Filho - 2013
De: Wajdi Mouawad


Recentemente assisti ao filme de Denis Villeneuve e considerei um dos melhores filmes que vi em 2014. Agora tive o privilégio de assistir a peça de teatro sob a direção de Aderbal Freire-Filho com Marieta Severo no papel de Navval.

Incêndios faz parte de uma tetralogia - Sangue das Promessas composta por Litoral, Floresta, Incêndios e Céus. Infelizmente não localizei no Brasil as outras três partes. 

A peça pode ser considerada por três aspectos: pelo viés da história de Navval (Marieta Severo) e sua vida à qual ela tenta dar um sentido , pelo viés dos gêmeos, Simon ( Felipe de Carolis) e Jeanne (Keli Freitas) que partem em busca de sua origem após receberem cada um uma carta de sua mãe para ser entregue ao pai e ao irmão do tabelião Hermile Lebel ( Márcio Vito) , ou ainda pelo viés da história da guerra civil no Líbano, onde teríamos uma história de resistência. 

A peça foca pouco no aspecto do conflito religioso da guerra civil do Líbano se atendo mais a Navval e seus filhos. Um drama, uma tragédia que é universal pois poderia ocorrer em qualquer lugar ou contexto, não necessariamente uma guerra civil, um contexto com violência, mas que não deixa de mostrar o que uma guerra pode provocar. A história seria outra sem o conflito que gerou ódios e mortes. Talvez Navval tivesse podido viver seu grande amor e criar seu filho, e sua vida teria tido um suposto sentido, mas como em toda tragédia, desde os gregos, não é assim que se passa. 

"AQUELE QUE TENTA ENCONTRAR SUAS ORIGENS É COMO O ANDARILHO NO MEIO DO DESERTO QUE ESPERA ENCONTRAR, ATRÁS DE CADA DUNA, UMA CIDADE. MAS CADA DUNA ESCONDE UMA OUTRA E NÃO SE TEM POR ONDE ESCAPAR." Vvajdi Mouavvad

Buscar as origens, buscar quem eu sou? Navval diz várias vezes durante a peça: a infância é uma faca enfiada na garganta." Como tirá-la sem abrir uma ferida que não irá parar de sangrar? 
O silêncio. Navval ficou durante 05 anos em silêncio. Por que? o que a calou? o indizível, o inefável. Ela deixa aos filhos a missão de descobrir o que não pode ser revelado e depois com isto poder ser falado. Mas será? Simon que criticou tanto o silêncio da mãe, se vê silenciado ao final. Está sem palavras. Talvez somente o teatro seja capaz da catarse. 

O passado, o presente e o futuro estão ali no palco, simultâneos, reduzindo tudo ao presente, como um inconsciente atemporal. As cenas se sobrepõem, o passado passa por trás do presente, ou vice-versa. 

O túmulo. Escrever o nome de sua avó no túmulo. Somente ter seu nome no túmulo quando a promessa se cumprisse, quando seus filhos encontrassem o irmão. A morte não encerra uma história, ela continua. 

Voltarei a Incêndios após a leitura do livro.


Veja um trecho da peça:








Aderbal Freire Filho nasceu em 1941 em Fortaleza - Ceará.