terça-feira, 24 de maio de 2016

LIVRO: COMO CURAR UM FANÁTICO - Israel e Palestina: entre o certo e o certo - AMÓS OZ


Oz, Amós. Companhia das Letras, 1ªed. 2016
103 páginas
Tradução: Paulo Geiger
Título Original: How to cure a fanatic: Israel and Palestine: between right and right.

Este livro nos traz ensaios de Amós Oz sobre a questão do fanatismo e principalmente sobre Israel e a Palestina. É uma abordagem lúcida e que nos leva a compreender este conflito de uma forma diferente do que normalmente divulgado, ou seja, não há o certo e o errado, a questão é entre o certo e o certo.

Oz considera que não se trata de desaparecer com Israel ou com a Palestina, e que isto já se tornou algo real para todos ali, o que antes era o desejo que o outro não existisse e fosse embora, hoje é fato que nenhum dos dois irá se retirar do que considera sua terra e que de fato é. Amós Oz fala então de uma questão "imobiliária", ou seja, seria como dividir um apartamento, quem fica com qual quarto, como fazer uso da mesma cozinha e da mesma sala. É a questão de dois Estados, como ocorreu com a Tchecoslováquia, que se dividiu em República Tcheca e Eslováquia, mas neste caso é necessário também um acordo flexível sobre a questão dos lugares sagrados a ambos em Jerusalém. 

Há um alto risco para Israel a partir do momento que se retire de alguns territórios ocupados, uma vez que a Palestina pode servir para que outros se aproximem demais de Israel. É conhecido o fato que o Estado Islâmico quer destruir Israel. 

Mas este pequeno livro vai além disto, pois fala do fanatismo, não só este que estamos acostumados a tratar, o religioso, mas todo e qualquer fanatismo, ou seja, qualquer um que queira impor ao outro seu modo de ser e viver que considera o certo. O fanático é um altruísta segundo Oz, uma vez que ele pensa no outro, no bem do outro, desejando e impondo que ele siga o caminho correto e certo, o dele claro, e não levando jamais em consideração a diferença e a alteridade. Neste sentido temos os vegetarianos, os pacifistas, os que defendem determinados comportamentos, roupas, os religiosos, e todo e qualquer tipo de imposição do certo sobre o que supostamente é errado segundo os critérios próprios do que quer recuperar o outro. 

Para combater e curar isto Amós fala do humor, da imaginação, da capacidade de se colocar no lugar do outro. Um fanático não tem humor, ele não ri de si mesmo. E estas são capacidades capazes de curar um fanático, introduzindo imaginação e criatividade em sua maneira de pensar. 

Vale a pena ler!!!

Amós Oz nasceu em 1939 em Jerusalém, Israel.