domingo, 12 de abril de 2015

FILME: FOR THOSE WHO CAN TELL NO TALES - 2014




Direção: Jasmila Zbanic - 2014
Duração: 69 min

País de Origem: Bósnia-Herzegovina

Kym (Kym Vercoe) mora na Austrália e viaja para a Bósnia-Herzegovina em suas férias, se diferenciando dos outros que preferem outras opções. Antes de viajar ela leu o livro de Ivo Andric - A ponte sobre o rio Drina, e segue um guia de viagens para percorrer a região, além de sempre gravar seu dia a dia, como se fosse um diário. 




Por causa do livro que leu resolve visitar Visigrad, que é onde fica a ponte. Faz reserva  em um hotel indicado pelo guia como um local romântico.Até este momento tudo está indo muito bem e ela está feliz com sua viagem, mas na noite que passa no hotel ela sente um mal estar, não consegue dormir. Ao retornar à Austrália ela irá procurar no Google mais informações e é quando descobre que o Hotel foi usado como campo de concentração de mulheres que eram estupradas e mortas, durante a guerra.



Kym se sente chocada com isto e não consegue aceitar que tenha dormido ali, naquele quarto onde algum tempo antes havia ocorrido o horror. Ela volta para lá 6 meses depois para tentar compreender, encontrar respostas e então vai descobrir como as cidades se reerguem após uma guerra, porém sem nunca deixar para trás seu passado sangrento. 

Ela tira fotos de tudo, das marcas nas paredes, na ponte, buracos de tiros, ruínas, tudo que a guerra deixou. Com isto chama a atenção da polícia e acabará interrogada e terá que deixar o país, mas não sem antes prestar uma homenagem às mulheres mortas no hotel e desta forma conseguir elaborar seu mal estar.

Em um determinado momento ela anda pelas ruas da cidade acompanhada de um professor de história e ele diz o que talvez ela não estivesse conseguindo compreender por vir de um lugar onde não havia ocorrido algo assim. Ele fala que "os que viram e viveram se perderam no dom da palavra e os que estão mortos não podem contar histórias. E completa ... essas são coisas que não são contadas e sim esquecidas, mas onde elas não são esquecidas como podem ser contadas? As vezes a ignorância é uma benção.

É o retrato do que acontece nos lugares que passaram pelo horror da guerra. São necessário anos para que se possa falar sobre o que aconteceu. Muitos não querem ouvir e outros não querem falar. É por isto que somente agora vemos uma explosão de livros escritos por sobreviventes do holocausto na Segunda Guerra, estão se aproximando da morte, é talvez a última geração que viu a guerra, e então sentem a necessidade de falar finalmente, para que não seja esquecido.

Este filme me remete a um momento em minha vida quando fui pela primeira vez no local do desembarque na Normandie na França. Eu olhei a praia, pisei nela e não suportei, era como pisar em sangue. Mas a areia estava branca, o mar e a chuva haviam retirados os vestígios, mas eu sentia que estava lá, ainda estava lá.

Jasmila Zbanic nasceu em 1974 em Sarajevo, Bósnia