sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

FILME: CLOSET LAND - 1991



Direção: Radha Bharadwaj - 1991
Duração: 89 min
Título original: Closet Land (Terra de Armários)

Um filme sobre a tortura

Um filme com apenas dois atores, ela uma escritora de histórias infantis (Madeleine Stowe), ele o grande inquisidor e torturador (Alan Rickman). 

Ela é presa a noite e levada com os olhos vendados para um lugar desconhecido para ser interrogada. É acusada de ocultar na sua escrita de histórias infantis recados para subversivos ao governo. Quem a vigia durante um ano e a prende é o governo. 

Durante o filme todo assistimos a uma pressão psicológica imensa sobre a escritora que não se rende, sua mente é mais forte. Passam então a tentar dobrar seu corpo, destruir o corpo para atingir a  mente, mas também não conseguem. Ela tem algo poderoso, sua mente e sua imaginação que a retira dali nos piores momentos e lhe permite manter a sanidade. 

O que possibilitou isto foi um fato trágico de sua infância que ocorria num armário quando ele se utilizava de sua imaginação para poder escapar. Durante o filme nas falas de seu torturador percebemos sinais de algo havia ocorrido em sua infância, naquilo que gravaram de suas conversas com sua mãe antes de sua morte, na questão de sua sexualidade. 

O que mais choca no filme é que sabemos que isto ocorre, e o pior, não são aqueles que a sociedade considera como bandidos, mas trata-se do governo, aquele escolhido por suas futuras vítimas. A parte que mais toca é quando ela fala sobre o quanto somos cegos e nos recusamos a ver e compreender. Aceitamos as explicações sem sentido para alguém que subitamente desapareceu e isto basta. Ela sabe que a sociedade que está lá fora nada fará em relação ao seu desaparecimento, está condenada a viver reclusa naquele antro de loucos, sim, loucos, porque a obsessão, a paranoia do governo é inacreditável, e muito bem representada pelo inquisidor que no mínimo é alguém muito doente para se propor a fazer o que faz, ele mesmo teve sua mente atingida e sofreu uma lavagem cerebral.

O que vemos é a forma como uma mente pode ser atingida e também o emocional de uma pessoa, principalmente quando ela está vendada e só escuta, podendo ser ludibriada, enganada pelos sons, imitações, e como isto se reflete em seu interior. O que ela sente é o que pode imaginar daqueles sons, independentes de serem reais ou não. 

O filme choca por sua verdade e realidade. Mas fingimos que isto não acontece. 

Radha Bharadwaj nasceu na Índia.