sábado, 27 de dezembro de 2014

PERFIL - MULHERES - INÊS DE CASTRO - RAINHA PÓSTUMA DE PORTUGAL


Nasceu em 1320/1325 em Galiza e faleceu assassinada em 07 de Janeiro de 1355 em Coimbra.


D. Pedro, filho do rei Afonso IV, futuro rei de Portugal,  casa-se com Constança Manuel que ao mudar-se para Portugal leva consigo sua dama de companhia Inês de Castro, uma bela jovem loura, que ficou conhecido devido sua beleza por "colo de garça". Pedro apaixona-se por ela e iniciam um romance que lhe dará mais quatro filhos, além dos três filhos de Constança. 

O romance incomodou a corte, e Constança a chamou para ser madrinha de seu filho, acreditando que com isto a afastaria de Pedro, uma vez que seria pecaminoso a relação entre ambos, mas isto não ocorreu. Inês foi afastada e só retornou após a morte de Constança num parto, quando Pedro a trouxe para viver em Coimbra num palácio de onde se avistava o Mosteiro de Santa Clara. Pedro se encontrava com ela na Fonte dos Amores, que ficava perto da residência de sua amada. 

Devido as ligações de Pedro com os irmãos de Inês que lhe ofereceram o trono do reino vizinho, Dom Afonso IV irritou-se, e temia que isto acabasse por interferir na independência de Portugal e aborrecesse Castela, além de temer que a família de Inês interviessem para que o filho bastardo de Pedro com ela assumisse o trono de Portugal no lugar de Fernando, filho de Constança com Pedro. Segundo a história Afonso teria sido convencido por seus três conselheiros Pedro Coelho, Álvaro Gonçalves e Diogo Lopes Pacheco que a única forma de garantir o poder seria se Inês morresse. Em 07 de Janeiro de 1355 os três partiram para Coimbra e encontrando Inês sozinha, pois Pedro havia partido para caçar, a degolaram e enterraram na Igreja de Santa Clara. 

Quando Pedro retornou ficou louco de dor e empreendeu uma luta contra o pai até que Dona Beatriz sua mãe intervisse e acabasse conseguindo que selassem a paz, fazendo com que Pedro jurasse sobre os evangelhos tudo esquecer e perdoar. 

Em 1357 Afonso morreu e Pedrou subiu ao trono de Portugal. Após a morte de sua mãe Dona Beatriz ele fez um trato com Castela que lhe entregou dois dos assassinos, apenas Diogo Lopes conseguiu fugir. A morte de ambos foi extremamente cruel, Pedro mandou que lhes arrancassem o coração, um pelo peito e outro pelas costas. 

Sua paixão se tornou uma obsessão e em 1360 ele jurou que havia se casado em segredo com ela o que a tornava rainha. Mandou construir dois túmulos em Alcobaça para onde mandou transferir os restos mortais de Inês e onde ele mesmo descansaria após sua morte. O cortejo que levou o corpo foi digno de uma rainha e diz a lenda que ele mandou colocá-la num trono onde todos teriam que beijar a mão da rainha. No túmulo de Inês está esculpido sua história. 

Túmulo de Inês de Castro 

Coroação Póstuma e o beija mão 

Dom Pedro 
Fonte dos Amores em Coimbra 


A história de Pedro e Inês nos é contada nos Lusíadas de Camões. Postarei um livro que li e que traz uma outra versão da história, onde há uma análise psicanalítica do que ocorreu e de porque Dom Pedro que foi avisado das intenções de seu pai de matar Inês nada fez para impedir e só se vingou após a morte de sua mãe Dona Beatriz, descumprindo o juramento que havia feito. Também vou assistir ao filme Inês de Castro e postar no Blog.