quarta-feira, 6 de maio de 2015

LIVRO: A FÊNIX ISLAMISTA - O Estado Islâmico e a reconfiguração do Oriente Médio - LORETTA NAPOLEONI


Napoleoni, Loretta. 1ª ed. Bertrand Brasil, 2015
154 páginas
Tradução: Milton Chaves de Almeida
Título Original: The Islamist Phoenix: the Islamic State and the redrawing of the middle east

O livro de Napoleoni é um grande alerta. De forma acessível, mesmo para os que não entendem muito de políticas e de geopolítica e menos ainda da situação no Oriente Médio, ela nos fornece um panorama sobre o que acontece por lá e de como as coisas funcionam, mas acima de tudo é um alerta para o descaso e a cegueira ocidental e sua maneira de tratar do assunto. 

O Estado Islâmico está crescendo. Ele adentra territórios desestabilizados, que estão no caos e para a população acaba sendo a única maneira de encontrar um pouco de ordem em meio a tantas guerras, obviamente desde que se converta ao islã. Por outro lado ao contrário de outros grupos terroristas o EI faz pleno uso da tecnologia virtual para se auto-divulgar e desta forma conseguir novos adeptos além de infligir o terror e o medo através de seus atos afetando psicologicamente as pessoas.

O EI quer recriar o Califado e refazer as antigas fronteiras que a colonização européia desfez. O povo da região se sente humilhado com isto e assim o Califado é um sonho de todos. A questão é que o EI não é um grupo retrógrado, pelo contrário, é moderno e tem plena compreensão da situação local. Eles sabem como manipular a opinião pública e acabam fazendo uso da tecnologia para isto, da mesma forma que o governo dos Estados Unidos utilizou para justificar a invasão do Iraque, e o mais importante é o alerta para como as pessoas acabam acreditando nisto sem parar um segundo para pensar no que está sendo dito. 

O que diferencia o EI de todos os outros grupos é que ele está conseguindo formar um Estado, não reconhecido, mas aceito pelo povo, e eles sabem que as pessoas precisam estar contentes, e para isto eles investem no social, fornecendo água, energia, alimentos, ajudando o comércio, nestas regiões onde tudo estava um caos. A imposição da xaria é algo que as pessoas no lugar aceitam, e com exceção dos xiitas que eles querem exterminar eles oferecem a chance para os que moram no local de se converterem e serem aceitos, ou cair fora. 

Fica claro pela leitura do livro que foi a colonização europeia assim como as guerras e invasões dos Estados Unidos que propiciaram o terreno fértil para que o EI surgisse e se mantivesse. Com a compreensão moderna dos dirigentes do EI, diferente de um Talibã ou Al Qaeda, e evitando toda forma de corrupção interna como ocorreu na OLP, eles deixam de ser apenas um grupo terrorista como a mídia do Ocidente costuma apresentá-los e se tornam muito mais perigosos do que imaginamos. Eles querem construir um Estado e tem uma visão moderna disto. 


Loretta Napoleoni nasceu em 1955 em Roma, Itália.É jornalista e analista política.